Mostrar mensagens com a etiqueta Estudos de Mercado. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Estudos de Mercado. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

MERCADO IMOBILIÁRIO COMÉRCIO DE RUA – PORTO – RENDAS PRIME



Apresentamos alguns indicadores do mercado de retalho (comercio de rua) relativos a algumas zonas da cidade do Porto e concelho. Os valores apresentados dizem respeito ao 3 e 4º trimestre de 2018 e decorrem duma análise realizada para a determinação da renda prime praticada em cada uma das zonas em análise, bem como o valor médio praticado no concelho em €/m2 para cada uma das localizações do quadro acima, num conjunto de 195 imóveis. Trata-se de observações de frações habitacionais (apartamentos), para compra/venda e na sua maioria de processos de avaliação imobiliária em que a nossa empresa esteve presente.

Estes indicadores são meramente orientativos e não conferem qualquer vínculo ou compromisso por parte da Structure Value, decorrem duma análise estatística de dados base dos registos da empresa.


















sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – LISBOA


Apresentamos alguns indicadores do mercado residencial relativos a algumas zonas da cidade de Lisboa e do concelho. Os valores apresentados dizem respeito ao 3 e 4º trimestre de 2018 e decorrem duma análise realizada para a determinação da mediana (valor central do conjunto de dados) em €/m2 para cada uma das localizações do quadro acima, num conjunto de 391 imóveis. Trata-se de observações de frações habitacionais (apartamentos), para compra/venda e na sua maioria de processos de avaliação imobiliária em que a nossa empresa esteve presente. Estes indicadores são meramente orientativos e não conferem qualquer vínculo ou compromisso por parte da Structure Value, decorrem duma análise estatística de dados base dos registos da empresa.


















quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

MERCADO IMOBILIÁRIO PREMIUM – PORTO


Apresentamos alguns indicadores do mercado residencial relativos a algumas zonas da cidade do Porto e concelho.

Os valores apresentados dizem respeito ao 3 e 4º trimestre de 2018 e decorrem duma análise realizada para a determinação da mediana (valor central do conjunto de dados) em €/m2 para cada uma das localizações do quadro acima, num conjunto de 356 imóveis.

Trata-se de observações de frações habitacionais (apartamentos), para compra/venda e na sua maioria de processos de avaliação imobiliária em que a nossa empresa esteve presente.

Estes indicadores são meramente orientativos e não conferem qualquer vínculo ou compromisso por parte da Structure Value, decorrem duma análise estatística de dados base dos registos da empresa.




quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - VISEU


Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado de residencial (apartamentos, relativos ao concelho de Viseu. A zona onde os valores registados são mais elevados, quer no mercado de compra/venda quer no mercado de arrendamento, é a zona central, verificando-se que alguns empreendimentos com frações novas estão a ser vendidos a 3.000€/m2.
O mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 1.300€/m2, sendo que para arrendamento corresponde a um valor médio próximo dos 7,0€/m2/mês. Os valores mínimos correspondem às zonas periféricas, sobretudo a zona norte da cidade e rondam os 650€/m2 e 4,0€/m2/mês.
Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 12,5€/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 3.000€/m2, enquanto a média de área por fração ronda cerca de 125 m2.
Os valores dizem respeito ao 3º trimestre de 2018. De um total de 287 frações de várias tipologias, que contribuíram para esta análise.






quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - HOTELARIA



Na cidade do Porto tem-se assistido ao forte crescimento do setor hoteleiro, com o surgimento de novas unidades, estando prevista a entrada de mais insígnias de hotéis em 2019/2020. Nalguns casos trata-se de remodelações ou reabilitações de edifícios antigos convertidos para o efeito, mas noutros casos são construções novas.

Os sinais são otimistas e as perspetivas são de crescimento contínuo das taxas de ocupação em todas as categorias (estrelas), bem como o aumento do preço médio por quarto ou cama disponível.

Atualmente o preço médio ronda os 70€, contudo o retorno/ rentabilidade (Revpar) é de aproximadamente 45€. No segmento de 5 estrelas os valores podem rondar os 175€.

As taxas de ocupação médias rondam entre 65% e 70%, contudo, nos meses de verão, a taxa de ocupação média sobe para os 90% a 95%, e logicamente com preços mais elevados e retornos superiores.

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - A AFIRMAÇÃO IMOBILIÁRIA DA CIDADE DO PORTO



O mercado imobiliário na cidade do Porto apresenta uma boa dinâmica e crescimento constante, prova disso mesmo são as rendas praticadas atualmente para os segmentos imobiliários comerciais. Nalguns segmentos esse crescimento é mesmo exponencial, também devido à entrada de vários investidores institucionais internacionais que vêem a cidade ainda como uma oportunidade e com margem para progressão no curto e médio prazo.

São vários os aspetos que permitem essa dinâmica e afirmação da cidade do Porto como um dos polos mais importantes no panorama do mercado imobiliário nacional.

Apresentamos, de seguida, de forma resumida, a nossa visão sobre cada um dos segmentos em análise: escritórios, retalho e industrial.

Os escritórios têm apresentado grande procura, sobretudo nas zonas tradicionalmente mais procuradas para serviços, tal como a AV. da Boavista, apresentado atualmente uma renda prime na ordem dos 17€/m²/ mês.

Os fatos que contribuem para este crescimento estão relacionados com o empreendedorismo da região e recursos humanos qualificados oriundos das faculdades/universidades existente. Os espaços em oferta, por sua vez, vão sendo cada vez mais sofisticados e modernos, quer por via da reabilitação ou promoção imobiliária nova.

Os escritórios com serviços partilhados são uma opção muitas vezes utilizados por empresas para começar atividade ou para terem representação na cidade do Porto.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - RESIDENCIAL - LEIRIA




(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 25/10/2018)

Apresentamos alguns indicadores do mercado de frações habitacionais/apartamentos relativos a Leiria (concelho).
Os valores dizem respeito ao 1º semestre de 2018. No entanto verifica-se, através de dados provisórios, que estes estão a consolidar-se nestes primeiros meses do segundo semestre de 2018.
No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/ venda, em média, de 1.350 €/m2, sendo que para arrendamento os valores médios andam por volta de 6 €/m2.
Como indicativo, o mercado disponibilizou, para venda, valores máximos na zona centro da cidade na ordem dos 3.000 €/m2, nomeadamente em empreendimentos distintivos e ainda em desenvolvimento. Em contrapartida, os valores mais baixos rondam os 600 €/m2 e foram verificados na periferia da cidade. A oferta para arrendamento é reduzida, com poucos imóveis em oferta. As tipologias mais procuradas são os T3, logo seguido dos T2.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - YIELDS IMPLÍCITAS - HABITAÇÃO PERMANENTE - GRANDE PORTO


(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 11/10/2018)
Um dos temas que, em avaliação e investimento, gera alguma discussão está relacionado com as yields aplicadas e utilizadas no imobiliário. Não obstante, sejam inúmeras as publicações e relatórios de mercado periódicas com informação sobre taxas prime. Quem atua neste setor dum modo profissional, tem com certeza conhecimentos para compreender os conceitos de yields/rendibilidade e, por sua vez, também para as justificar ou sustentar devidamente, quer seja através do mercado de venda/arrendamento ou na elaboração de modelos (rendibilidade de ativos) para determinação das taxas das yields. Neste artigo pretendemos, de uma forma breve, fazer uma overview e apresentação das yields brutas praticadas atualmente no mercado imobiliário do Grande Porto, para o segmento residencial de habitação permanente. Atente-se no quadro seguinte:





Trata-se duma análise que teve por base um conjunto considerável de imóveis oriundos da base de dados interna de avaliações efetuadas pela Structure Value, juntamente com dados recolhidos no mercado da oferta existe em comercialização. A metodologia utilizada para a sua determinação tem como pressuposto o mercado imobiliário em cada uma das localizações/concelhos apresentadas, obtida através da correlação existente entre compra/venda Vs arrendamento. Consideramos pois que esta metodologia é a mais adequada uma vez que está assente no mercado, permite diferenciar localizações e espelha o mercado imobiliário de cada zona. Dos dados obtidos, verifica-se que a gama baixa do Porto permite taxas de rendibilidade de 8,20%, em contrapartida a yield pode descer até 4,8 % na gama mais alta (prime). O concelho de Gondomar é aquele que mesmo na gama alta apresenta a taxa de rendibilidade mais elevada com uma yield de 6,80%. Verifica-se também uma amplitude maior no concelho do Porto o que pode ser justificado pelo crescimento exponencial dos valores e da diversidade de oferta. O mercado de arrendamento e as taxas de rendibilidade (yields) praticadas só reforçam o estado atual do mercado imobiliário de compra/venda e os valores praticados, pois estas são uma consequência da conjuntura imobiliária atual.

Obter PDF (Versão Completa)

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – GONDOMAR



(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 27/09/2018)

Apresentamos alguns indicadores do mercado de frações habitacionais/apartamentos relativos a Gondomar (concelho).

Os valores dizem respeito ao 1º semestre de 2018. No entanto verifica-se, através de dados provisórios, que estes estão a consolidar-se nestes primeiros meses do segundo semestre de 2018.

No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/ venda, em média, de 1.000 €/m2, sendo que para arrendamento os valores médios andam por volta de 5,5 €/m2.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para venda valores máximos na zona de Rio Tinto na ordem dos 1.700 €/m2, em contrapartida os valores mais baixos rondam os 450 €/m2 e foram verificados na zona de Fânzeres. A oferta para arrendamento é reduzida com poucos imóveis em oferta. As tipologias mais procuradas são os T3, logo seguido dos T2.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – STª MARIA DA FEIRA












(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 24/08/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado de residencial (apartamentos) relativos ao concelho de Stª Maria da Feira. A zona onde os valores registados são mais elevados no mercado de compra/venda é a zona da Cruz. No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 950€/m2, sendo que para arrendamento corresponde o valor médio a rondar entre os 5,5€/m2/mês. Os valores mínimos correspondem a freguesias como São João de Ver e Nogueira e rondam os 475€/m2. O mercado de arrendamento habitacional tem pouca oferta e há uma escassez de frações para este fim.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 7,0€/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 1.500€/m2, enquanto a média de área por fração ronda cerca de 120 m2.

Os valores dizem respeito ao 2º trimestre de 2018. Num total de 189 frações de várias tipologias que contribuíram para esta análise.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - ARMAZÉNS - AVEIRO










(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 27/07/2018)
O segmento de mercado relevante para o presente estudo é o de armazéns no concelho de Aveiro, pelo que desprezamos para este estudo/análise todos aqueles que continham uma vertente comercial ou de retalho.

A análise foi realizada para a zona geográfica que consideramos “Aveiro”, nomeadamente todas as freguesias. Correspondem a valores de imóveis registados na nossa base de dados interna, no período entre janeiro e março de 2018, num total de 79 observações, sendo 23 dessas para arrendamento e as restantes para compra/venda.

Conclui-se que, para armazéns, o valor médio para arrendamento posiciona-se em torno dos 2,75€ e os 3,00 €/m² e o de venda ronda os 425 €/m².

Meramente orientativo, o mercado disponibilizou para arrendamento e venda valores máximos na ordem dos 4,00 €/m² e 650 €/m², respetivamente, valores verificados na localidade de Esgueira.

Os valores mínimos foram verificados nas zonas de Oliveirinha e Cacia em armazéns usados.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – MAIA


(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 13/07/2018)

Apresentamos alguns indicadores do mercado de frações habitacionais/apartamentos relativos ao concelho da Maia.

Os valores dizem respeito ao 1º trimestre de 2018. No entanto verifica-se, através de dados provisórios, que estes vão consolidar-se no 2º trimestre de 2018.

No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/ venda, em média, de 1.500€/m2, sendo que para arrendamento os valores médios andam por volta de 7€/m2.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 10,5€/m2, representado um valor máximo de renda de fração na ordem dos 1.100€/mês, enquanto a média ronda os 700€/mês, em termos de referência e para uma área média de fração com cerca 110 m2, sendo que maior parte dos imóveis mais elevados estão localizados na cidade da Maia.













sexta-feira, 29 de junho de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – PORTO


(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 28/06/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado residencial (apartamentos) relativos ao concelho do Porto. A zona onde os valores registados são mais elevados quer no mercado de compra/venda quer no mercado de arrendamento é a união de freguesias que abrange o centro histórico do Porto (Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória), logo seguida pela zona do Jardim do Cálem / Foz (União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos e União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, respetivamente).

No caso dos apartamentos, no concelho do Porto o mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 1.650€/m2, sendo que para arrendamento corresponde o valor médio a rondar entre os 7,50€/m2/mês. Os valores mínimos correspondem à freguesia de Campanhã (zona Oriental da cidade) e rondam os 500€G/m2 e 4,00€/m2/mês.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 30,00€/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 8.000€/m2, enquanto a média de área por fração disponível vai abaixo dos 100 m2.

Os valores dizem respeito ao 1º trimestre de 2018. Numa análise a um total de 1.350 frações de várias tipologias que contribuíram para esta análise.










sexta-feira, 15 de junho de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – AVEIRO



(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 14/06/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado de residencial (apartamentos) relativos ao concelho de Aveiro. A zona onde os valores registados são mais elevados, quer no mercado de compra/venda quer no mercado de arrendamento, é Glória e Vera Cruz, logo seguida da zona do Centro de Congressos.

No caso dos apartamentos, em Aveiro o mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 1.400G/m2, sendo que para arrendamento corresponde o valor médio a rondar entre os 6,5G/m2/mês. Os valores mínimos correspondem às zonas de Esgueira e rondam os 650G/m2 e 3,5G/m2/mês.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 12,5G/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 2.900G/m2, enquanto a média de área por fração ronda cerca de 125 m2.

Os valores dizem respeito ao 1º trimestre de 2018. Num total de 434 frações de várias tipologias que contribuíram para esta análise.






sexta-feira, 1 de junho de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO RESIDENCIAL – MATOSINHOS



Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 01/06/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado residencial (apartamentos, relativos ao concelho de Matosinhos. A zona onde os valores registados são mais elevados, quer no mercado de compra/venda quer no mercado de arrendamento, é Matosinhos Sul, logo seguida da zona de Leça da Palmeira.

No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 1.700€/m2, sendo que para arrendamento tem o valor médio a rondar entre os 8 e 9€/m2. Os valores mínimos correspondem às zonas de Leça do Balio e Guifões.

Como indicativo, o mercado disponibiliza para arrendamento valores máximos na ordem dos 14€/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 4.000€/m2, enquanto a média de área por fração ronda cerca de 110 m2.

Os valores dizem respeito ao 1º trimestre de 2018. Contribuíram para a análise um total de 350 frações de várias tipologias.





sexta-feira, 18 de maio de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - RESIDENCIAL - COIMBRA

(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 18/05/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado de frações habitacionais (apartamentos) relativos ao concelho de Coimbra. A freguesia onde os valores registados são mais altos, quer no mercado de compra/venda quer no mercado de arrendamento, é Santo António dos Olivais, onde existem diversos novos projetos em curso, nomeadamente a "Quinta da Portela".

No caso dos apartamentos, o mercado apresenta valores de compra/ venda, médios de 1.500€/m2, sendo que para arrendamento terá o valor médio a rondar os 6,50€/m2.

Como indicativo, o mercado disponibiliza para arrendamento valores máximos na ordem dos 12,50€/m2/mês, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 2.900€/m2, enquanto a média de área para fração ronda cerca de 100 m2.

Salientamos que o mercado de arrendamento de moradias é praticamente inexistente no concelho de Coimbra.

Os valores dizem respeito ao 1º trimestre de 2018. Num total de 280 frações de várias tipologias que contribuíram para esta análise.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - ESCRITÓRIOS - PORTO


No segmento de escritório na cidade do Porto é evidente o dinamismo, fomentados pelo crescimento económico, mas também pelo turismo e impulsionado pela Universidade do Porto. Atinge valores idênticos, em algumas localizações, superiores a antes da crise. A nossa análise baseou-se em valores de imóveis registados na base de dados interna da Structure Value, oriundos de avaliações imobiliárias realizadas no período entre Dezembro de 2017 e Março de 2018, num total de 370 observações (imóveis). Os imóveis foram distribuídos por localizações, dando origem a quatro zonas distintas e considerados os valores prime.

Assim, conclui-se que a zona prime corresponde à Boavista e tem como referência, para arrendamento, cerca de 15 €/m2 e, para venda, 3.000 €/m2. A zona Oriental é a mais barata e apresenta valores prime na ordem dos 10 €/m2 e 1.500 €/m2, para arrendamento e venda, respetivamente.

As taxas de rentabilidade (yields) para este segmento oscilam entre os 6,5% e 7,5%, dependendo da zona e do edifício, podendo nalguns casos atingir os 6,0%.

terça-feira, 24 de abril de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO DO ALGARVE










(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 20/04/2018)

O segmento de mercado relevante para o presente estudo é o residencial, nomeadamente as moradias e apartamentos, pelo que desprezamos, para este estudo/análise, todos os prédios/imóveis que continham usos mistos.

A análise foi realizada para a zona geográfica do Algarve, e os concelhos analisados foram os que compõem o distrito de Faro. O estudo baseou-se em valores de imóveis registados na base de dados interna da Structure Value, no período entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, num total de 840 observações (imóveis), sendo que 90% dessas observações correspondem a oferta para compra/venda e restantes para arrendamento.

Conclui-se que para as moradias, o valor médio posiciona-se nos 2.200 €/m² e para apartamentos na ordem dos 2.000 €/m². Podemos também destacar que no arrendamento de apartamentos se pratica valores médios entre os 8,0 €/m².

A zona onde se verificou os preços mais elevados de moradias foi em Almancil (Loulé), e os preços mais baixos foram registados nas zonas de Alcoutim. Ao nível de apartamentos os preços mais baixos foram registados em Portimão e os mais elevados em Almancil.








quinta-feira, 5 de abril de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - PORTO - ARMAZÉNS, INDUSTRIAL E LOGÍSTICA


(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 05/04/2018)

O segmento de mercado relevante para o presente estudo/análise é o de armazéns com características industriais ou de logística, pelo que desprezamos todos aqueles que continham uma vertente comercial ou de retail. A análise foi realizada para a zona geográfica que consideramos “Grande Porto”, nomeadamente os concelhos analisados, foram os seguintes: Porto, Matosinhos, Maia, Valongo, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde e Gondomar. Correspondem a valores de imóveis registados na nossa base de dados interna, no período entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, num total de 249 observações, sendo 166 dessas para arrendamento e as restantes 83 para compra/venda.

Conclui-se que para armazéns situados no Grande Porto, o valor médio para arrendamento posiciona-se em torno dos 3,0 €/m² e o de venda ronda os 450 €/m².

Meramente orientativo, o mercado disponibilizou para arrendamento e venda valores máximos na ordem dos 6,0 €/m² e 800 €/m², respetivamente, valores verificados na localidade de Ramalde no Porto. Os valores mínimos foram verificados nas zonas de Vila do Conde e Valongo.





sexta-feira, 23 de março de 2018

MERCADO IMOBILIÁRIO - HABITAÇÃO - BRAGA


(Publicado no Caderno de Imobiliário da Vida Económica do dia 23/03/2018)

Apresentamos alguns indicadores médios e meramente orientativos do mercado de frações habitacionais/apartamentos relativos a Braga (concelho).

Os valores dizem respeito ao 4º trimestre de 2017. No entanto verifica-se, através de dados provisórios, que estes estão a consolidar-se nestes primeiros meses de 2018.

No caso dos apartamentos, para o concelho de Braga o mercado apresenta valores de compra/venda, médios de 1.000€/m2. Para a cidade uma fração habitacional em estado razoável e em zona mediana, em termos médios para compra/venda rondará entre 125.000€ e os 130.000€, ou seja, valor unitário de cerca 1.250€/m2, um pouco acima do valor médio para o total do concelho, sendo que para arrendamento idêntica fração terá o valor médio a rondar os 5,00€/m2.

Como indicativo, o mercado disponibilizou para arrendamento valores máximos na ordem dos 8,5€/m2, representado um valor máximo de venda de fração na ordem dos 2.300€/mês, enquanto a média de área por fração ronda cerca de 105m2.

Estes valores resultam de análise estatística e dum conjunto de 1.664 observações da nossa base de dados, circunscritos ao concelho de Braga, registados no período entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018.